Frente de Oposição não tem unidade e objetivos, diz Genoino

Ao comentar a Frente de Oposição formada pelo PSDB, PFL e PDT, o presidente do PT, José Genoino, a classificou de "frente dos contra, como a da Nicarágua". Segundo ele, é natural que PFL e PSDB, que já governaram juntos por oito anos, tentem unir esforços "para aprender a fazer oposição no País, pois parecem que adquiriram amnésia por criticarem coisas que eles não foram capazes de colocar em prática". "Agora, juntar o PDT de Leonel Brizola nessa frente não combina. Essa frente não tem unidade e nem objetivos." Genoino, afirmou, em entrevista à Agência Estado, que as mudanças na política econômica reivindicadas pelo PMDB são as mesmas que o Partido dos Trabalhadores vem defendendo. "Estamos lutando, por exemplo, pela redução da carga tributária, pelo crescimento econômico e geração de emprego e pela redução das taxas de juros", afirmou. Segundo ele, a reivindicação que o PT vem fazendo para que o governo faça mudanças na condução de sua política econômica não quer dizer que o partido critique algum integrante da equipe econômica do governo. "Como partido político, temos o direito de emitir nossa opinião, já que nossa relação (com o governo) não é pautada por cargos", garantiu. O presidente do PT falou, também, a respeito da avaliação feita hoje pela Transparency International, entidade que trabalha no sentido de combater a corrupção em todo o mundo. De acordo com essa entidade, o governo Lula não tem feito muitos esforços para combater a corrupção no Brasil. "Não concordo com essa opinião, pois acredito que o governo do presidente Lula tem realizado um trabalho sério e transparente de combate à corrupção", assegurou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.