Freira faz protesto no interior de SP

A freira Célia Aparecida de Souza está fazendo uma espécie de greve de fome ?controlada? desde o dia 19, em protesto contra a permanência de menores infratores na cadeia do Putim, em São José dos Campos, a 90 quilômetros de São Paulo. Na segunda-feira, uma barraca foi armada na praça Afonso Pena, centro da cidade, de onde Célia só deve sair quando os menores forem transferidos. Apesar de sua saúde começar a apresentar sinais de desgaste, ela não pensa em desistir. Para ter a saúde preservada, Célia conta com o apoio de médicos e está tomando água-de-coco, iogurte e coalhada."Estou sentindo uma perda de energia muito grande, mas estou determinada a continuar", disse Célia, que é também advogada e faz parte do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. "Ninguém está defendendo a liberdade dos adolescentes, estamos lutando pela dignidade humana", completou. Durante a noite, foi montado um esquema de revezamento. À tarde, por recomendação médica, ela deixou de atender à imprensa para manter estado absoluto de repouso.O acampamento foi montado em frente à Delegacia da Infância e da Juventude (Diju), onde há nove meses estão sendo construídas duas celas com capacidade para abrigar 18 adolescentes infratores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.