Fraudadora do INSS responderá outros seis processos

O Ministério da Justiça informou ao Supremo Tribunal Federal que a fraudadora do INSS, Jorgina Mariade Freitas, presa no Rio de Janeiro, deverá ser citada para que possa responder aos seis processos que tramitam na justiça brasileira. O STF notificará Jorgina de que o governo brasileiro pediu a extensão de sua extradição à Costa Rica, país onde se refugiou à época, para que responda a essas ações penais noBrasil. A fim de protelar o julgamento por outros delitos que cometeu, a advogada entrou com vários recursos no Processo de Carta Rogatória, que tramita junto ao Supremo Tribunal de Justiça para sua citação.O governo costarriquenho extraditou Jorgina baseado em um único processo que tinha sentença condenatória. De acordo com o Princípio da Especialidade da Extradição, só se pode julgar uma pessoa pelos crimes que constavam na extradição. Por esse motivo, o Brasil tem que recorrer à Costa Rica. O princípioevita que a extradição seja usada para perseguição política. As informações são do site do Ministério da Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.