Fraudadora do INSS passará as festas na cadeia

A fraudadora do INSS Jorgina de Freitas vai passar as festas de fim de ano na prisão. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Marcus Faver, negou recurso dos advogados de Jorgina, que queria ficar em casa no Natal e no Fim de Ano. Ele também indeferiu pedido de redução de sua pena de 14 anos. Jorgina foi condenada por ter desviado mais de R$ 400 milhões, em aposentadorias falsas, do INSS. O pedido de redução da pena foi negado pelo desembargador Marcus Faver porque Jorgina "não reparou o prejuízo econômico causado aos cofres públicos e continua criando embaraços para o cumprimento da decisão judicial, especialmente em relação aos bens seqüestrados", diz nota do Tribunal de Justiça. Jorgina de Freitas está requerendo também o direito de visitação periódica à família, que deverá ser julgado "nos próximos dias", segundo a nota. Ela cumpre pena no presídio Nelson Hungria, no centro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.