Fraudador português será extraditado hoje

O ex-oficial da Marinha de Guerra portuguesa, Rui Jorge Crujo da Silva Fonseca, será extraditado para Portugal nesta segunda-feira. Fonseca responde pelo crime de peculato em seu país. Na legislação portuguesa, esse crime corresponde a pena de 16 a 20 anos de prisão. A diretora do departamento de Estrangeiros do Ministério da Justiça, Izaura Miranda, assinou a autorização de sua entrega na última quinta-feira.Rui Fonseca era chefe do Serviço Administrativo e Financeiro do Instituto de Socorros a Naufrágios (ISN), em Lisboa. Acusado de se apoderar indevidamente das verbas enviadas por diversas entidades portuguesas ao ISN, causou prejuízo à Fazenda Nacional de Portugal. Na época, o rombo foi calculado em cinqüenta milhões de escudos, o equivalente a aproximadamente R$ 513,5 mil reais, em dezembro de 2001.Atendendo ao pedido de extradição formulado pelo governo de Portugal, Fonseca foi preso dia 26 de dezembro de 2002, em Salvador. Ele cumpriu mandado de prisão preventiva expedido pelo Supremo Tribunal Federal, na Superintendência Regional da PF da capital baiana.Dia 9 de janeiro deste ano, a Embaixada de Portugal foi notificada pelo Departamento de Estrangeiros do Ministério da Justiça que Rui Fonseca já poderia ser retirado do Brasil. O estrangeiro será entregue aos policiais portugueses encarregados de sua escolta, no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, às 18h no vôo TP 1554 com destino a Lisboa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.