Franklin tem urgência para implantar rede pública de TV

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Franklin Martins, disse nesta segunda-feira, 9, que tem urgência para a implantação de uma rede pública de TV, principal projeto de sua pasta. Franklin defendeu agilidade ao participar de uma reunião preparatória do I Fórum Nacional de TVs Públicas, que será promovido pelo Ministério da Cultura (MinC) em maio. Ao lado do ministro da Cultura, Gilberto Gil, Franklin afirmou que o governo precisa de "uma certa pressa" para definir o projeto antes da implantação total da TV Digital no País, que será iniciada em dezembro. O ministro demonstrou temer que o governo se perca em discussões sobre o formato e o papel da rede pública e deixe partir o que ele chamou de "último trem"."É necessário entender que não temos todo o tempo do mundo. Temos um tempo para resolver isso, que é durante o processo de implantação da TV Digital", pediu Franklin, diante da platéia de representantes de emissoras públicas reunida no Palácio Capanema, sede do Minc no Centro do Rio. "Precisamos ter maturidade para não botar as nossas pequenas divergências na frente das nossas grandes convergências", defendeu o ministro. Para ele, o debate que o anúncio do projeto gerou será superado no futuro: "Daqui a 15 anos vai ser óbvio que uma TV pública forte é um bem extraordinário para o País".Reunião com LulaNesta terça-feira, Franklin defenderá novamente a pressa diante do presidente Lula, que se reúne com ele e ministros como Gil, Fernando Haddad (Educação), Hélio Costa (Comunicações), Dilma Roussef (Casa Civil) para iniciar o projeto. O ministro da Secom quer concluí-lo em 90 dias para enviar a proposta ao Congresso. "O presidente foi muito claro de que isso é uma decisão de governo", frisou. O ministro Gilberto Gil disse que o MinC será um "colaborador de primeira ordem" da agenda de Franklin, mas fez questão de reivindicar a iniciativa da discussão de um novo papel para a TV pública no Brasil. Ele lembrou que os debates dos grupos temáticos que elaboram propostas para o I Fórum Nacional de TVs Públicas foram iniciados no ano passado. "A cultura da TV é questão do MinC", frisou Gil. Em entrevista no fim do evento, Franklin admitiu que as conclusões do fórum serão úteis ao projeto, mas avisou que isso não significa que o governo acatará todas as sugestões. Convidado de última hora de Gil para a cerimônia no Rio, o ministro da Secom disse que, ao promover o debate sobre o tema, o Minc, desempenhou o papel de "um animador cultural". Os dois ministros não esconderam que há divergências entre os ministérios envolvidos com o projeto da rede, especialmente em relação ao das Comunicações, que não enviou representantes à cerimônia desta segunda-feira. Apesar disso, Franklin disse acreditar que será possível um trabalho coordenado."Um debate de governo não é feito reunindo três ou quatro ministros numa sala e depois sai tudo prontinho. O debate é tumultuado, como é na sociedade, num diretório acadêmico, num sindicato, numa comunidade religiosa. O debate nasce da diversidade. Aparecerem nuances e pontos de vista diferentes é absolutamente natural no debate", disse Franklin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.