Franklin Martins aceita ser ministro da Comunicação Social

O jornalista Franklin Martins aceitou nesta quinta-feira, 22, o convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ser o ministro encarregado da área de comunicação social do governo. O formato da nova estrutura de comunicação do Planalto - que reunirá algumas áreas - será definido até a próxima semana, quando Franklin tomará posse. O jornalista vai cuidar de relações com a imprensa, publicidade e também do projeto de uma rede nacional pública de TV. O jornalista não quis dar detalhes sobre a função, mas confirmou ter sido recebido em audiência no Planalto no final da tarde. "Tive hoje uma segunda conversa com o presidente e aceitei o convite", disse Franklin à Reuters. O convite ao jornalista foi feito pela primeira vez numa conversa com Lula na primeira quinzena do mês. Parte da nova estrutura virá da atual Subsecretaria de Comunicação Institucional (Secom), vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República. A Secretaria de Imprensa e Porta-Voz (SIP), que cuida das relações coma imprensa, será totalmente incorporada. O projeto de criação de uma rede nacional de televisão pública vem sendo discutido na Secretaria-Geral e no Ministério da Cultura. O Ministério das Comunicações elaborou um estudo de viabilidade que estima em 250 milhões de reais as necessidades de investimento para implantar a rede, ainda no sistema analógico. A conversa com Franklin Martins não constava da agenda oficial do presidente Lula nesta quinta. Dirigentes do PMDB que estiveram no Planalto à tarde encontraram-se com Martins e com o jornalista João Santana, responsável pela campanha da reeleição de Lula. "Acho que vocês terão mais um colega ministro hoje", disse a jornalistas o presidente do PMDB, Michel Temer, insinuando que Martins teria aceitado o convite. Outro jornalista, o executivo Miguel Jorge, do grupo Santander Banespa, já havia sido convidado por Lula, na quarta, para ser o novo ministro do Desenvolvimento Indústria e Comércio. Ex-guerrilheiroFranklin Martins foi comentarista político do Jornal Nacional e do Jornal da Globo até maio de 2006, quando seu contrato com a Rede Globo não foi renovado. Atualmente, trabalha na Rede Bandeirantes, que terá de deixar se for confirmada sua ida para Brasília.O jornalista foi líder estudantil e depois guerrilheiro. Ex-militante do grupo comunista MR-8, participou do seqüestro do embaixador americano Charles Elbrick. A ação forçou o governo a libertar 15 presos políticos. Entre eles, José Dirceu.Recentemente, Martins travou polêmica com o colunista Diogo Mainardi, da revista Veja, que o acusou de ter influenciado na nomeação de parentes a cargos públicos. Martins negou as acusações.Texto ampliado às 22h30

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.