AFP PHOTO / YURI CORTEZ
AFP PHOTO / YURI CORTEZ

França, Portugal, México e Espanha têm atos de apoio a Lula

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse que os aliados do ex-presidente preso vão fazer uma grande campanha internacional de liberdade

Aline Bronzati, Douglas Gavras, Ricardo Galhardo e Nayara Figueiredo, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2018 | 17h26

A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desencadeou atos não só no Brasil como também no exterior neste domingo, 8. A Praça da República, em Paris, foi o cenário escolhido por manifestantes que protestavam a favor do petista. Na região central da Cidade do México,  representantes do Grupo Brasil-México ergueram cartazes que diziam "Moro golpista" e "Eleição sem Lula é fraude".

+ Ao vivo: LULA PRESO

+ Tudo o que você precisa saber sobre a prisão de Lula

Também foi convocado um ato para Barcelona, na Praça Sant Jaume, organizado pelo Coletivo Amigos da Democracia e também o Comitê Internacional pela anulação do impeachment. Na segunda-feira, 9, outra manifestação contra a prisão de Lula está prevista para ocorrer em Lisboa, Portugal, a partir das 18 horas, com organização do Coletivo Andorinha. O local escolhido foi a Praça Luís de Camões.

Campanha internacional 

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse neste domingo, em Curitiba, que os aliados do ex-presidente Lula vão fazer uma grande campanha internacional de liberdade para o petista. "Lula é uma figura que impressiona. Em todo esse processo, ele só cresceu. Quero ver a próxima pesquisa", afirmou ele.

+ The New York Times destaca prisão de Lula na capa e cita virada nas eleições

+ Líder de esquerda na França diz que Lula sofreu 'golpe judicial'

+ Dilma fará palestras nos EUA e na Espanha para denunciar 'perseguição a Lula'

A ex-presidente Dilma Rousseff também iniciará amanhã, dia 9, uma agenda no exterior a convite de universidades e instituições acadêmicas da Europa e Estados Unidos. Ela passará por Madrid e Barcelona, na Espanha, e depois vai para os Estados Unidos, em Berkeley, Stanford e San Diego. Rousseff quer "denunciar perseguição ao ex-presidente Lula".

Pela manhã, o líder do movimento de esquerda francês França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon, citou a prisão do ex-presidente durante discurso e afirmou que Lula sofreu um "golpe judicial".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.