França diz confiar na venda de aviões Rafale ao Brasil

O governo da França está confiante em vencer a concorrência para vender jatos de combate Rafale ao Brasil, sob a nova presidência de Dilma Rousseff, disse hoje o ministro da Defesa francês, Alain Juppé. Ele afirmou ter se encontrado com funcionários brasileiros no sábado, quando assistiu à posse de Dilma, no lugar do agora ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Uma decisão deve ser tomada nas próximas semanas", disse Juppé. "Eu acho que podemos estar confiantes, mas minha estratégia é nunca anunciar as coisas antes que elas estejam decididas."

AE, Agência Estado

04 de janeiro de 2011 | 09h49

Os jatos Rafale, da França, fabricados pela Dassault, competem pelo contrato com os F-18, da americana Boeing, e o Gripen NG, da sueca Saab. Em jogo está um contrato de bilhões de dólares para modernizar a frota da Força Aérea Brasileira (FAB). No ano passado, Lula anunciou que havia começado negociações com a França para comprar o Rafale, mas depois recuou, sob pressão dos dois outros concorrentes.

Como nenhum acordo foi fechado até Lula deixar o posto, alguns analistas viram isso como um sinal de que o projeto pode ser cancelado. Segundo a imprensa brasileira, a compra das 36 aeronaves poderia custar entre US$ 6 bilhões e US$ 8 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.