Fracassa leilão de sítio de Figueiredo

A família do ex-presidente João Baptista Figueiredo, que morreu em dezembro de 1999, não encontrou comprador para o Sítio do Dragão, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. O lance mínimo de R$ 5 milhões não foi alcançado no leilão realizado na noite de terça-feira. O leiloeiro Roberto Haddad, encarregado da venda da propriedade e dos móveis e objetos que a decoravam, disse, no entanto, ter recebido uma contraproposta de um grupo hoteleiro espanhol. Ele não revelou o nome nem a quantia oferecida.Haddad ainda não calculou quanto renderam os outros 239 lotes do leilão dos bens de Figueiredo, mas acredita que tenha ficado entre R$ 100 mil e R$ 110 mil, quase um terço do que a família esperava apurar com a venda. O lote que obteve preço maior foi a escultura de um cavalo de madeira, em tamanho natural, que saiu por R$ 14 mil.O Sítio do Dragão tem 35 mil metros quadrados, cinco casas e era o lugar onde o presidente passava a maior parte do tempo, após deixar o governo, em 1985.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.