Fotógrafos são detidos pela Marinha após tirarem fotos de Lula

Comandante afirmou que o perímetro de segurança do presidente se estendia 'até o alcance da vista'

estadao.com.br,

08 de janeiro de 2010 | 11h30

Barco onde fotógrafos estavam foi abordado por uma lancha da Marinha. Foto: Paulo Pinto/AE

 

SÃO PAULO - O repórter fotográfico Paulo Pinto, de O Estado de S.Paulo, foi detido na tarde da última quinta-feira, 7, por militares junto com o colega Marcelo Justo, do jornal Folha de S. Paulo, enquanto tiravam fotos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que passa férias no Forte de Andradas, em Guarujá, litoral sul de São Paulo.

 

Os dois estavam em um barco próximo ao forte e foram abordados pela Marinha. "A gente já sabia que ia sofrer uma abordagem deles", disse Paulo ao estadao.com.br. O repórter fotográfico contou que o barco onde estavam foi abordado por uma lancha da Marinha, apesar de estar "bem fora da área de alcance deles".

 

Eles chegaram a receber voz de prisão do capitão da fragata, Marcelo Ruas, que os escoltou até a praia, onde foi realizado um boletim de ocorrência pela Polícia Militar.

 

Segundo o relato do fotógrafo, no momento da abordagem o comandante afirmou que o perímetro de segurança se estendia "até o alcance da vista". Os dois foram liberados cerca de duas horas depois.

Tudo o que sabemos sobre:
FotógrafosMarinhafotosLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.