Fórum não deve virar "desfile de chefes de Estado", diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recomendou aos organizadores do Fórum Social Mundial que "não caiam na tentação de transformá-lo num desfile de chefes de Estado". O alerta foi feito ontem, depois que um representante filipino do Conselho Internacional do Fórum sugeriu que Lula fosse ao evento no ano que vem na Índia.Lula respondeu que poderia até ir, se fosse convidado, mas que esse é um fórum da sociedade civil. Explicou que veio este ano a Porto Alegre como "anfitrião". Em anos anteriores, os organizadores recusaram sugestões de convidar chefes de Estado, como o cubano Fidel Castro.Este ano, no entanto, a Ação pela Tributação das Transações Financeiras em Apoio dos Cidadãos (Attac), com sede na França, convidou o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que chega amanhã a Porto Alegre, em sua terceira visita ao Brasil neste mês. "É insólito, mas o Fórum dá abertura para isso", disse Francisco Whitaker, um dos organizadores do evento. "O Fórum tem duas dinâmicas: a dos organizadores e a dos participantes, que promovem oficinas e seminários, e podem convidar quem eles quiserem.""Ele (Chávez) é um chefe de Estado que se submeteu a isso: vir humildemente, falar numa oficina", observou Whitaker. "Não tem nada a ver com a organização do Fórum. É decisão dele." Segundo o organizador, "Chávez tem a liberdade total de circular como cidadão". Mas "vai criar problemas", por causa do aparato de segurança que acompanha um chefe de Estado. "Como ele vai funcionar nessa loucura que é o Fórum, não sei", sorriu Whitaker. "São ossos do ofício."Veja o especial sobre os Fóruns de Davos e Porto Alegre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.