Fortunati é alvo de seus 6 concorrentes em debate

Líder nas pesquisas com possibilidade de ser reeleito no primeiro turno, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), foi alvo de seus seis concorrentes, especialmente de Manuela D''Ávila (PC do B), segundo colocada, e Adão Villaverde (PT), terceiro, durante debate promovido pela Rádio Guaíba, da Rede Record, na tarde desta sexta-feira. Ao contrário dos encontros anteriores, os concorrentes demonstraram nervosismo e chegaram a ficar exaltados em algumas discussões.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

28 de setembro de 2012 | 19h25

Depois de perceber que a comunista e o petista usavam perguntas e respostas para outros concorrentes para criticá-lo, Fortunati aproveitou um questionamento direto de Manuela e afirmou que a candidata estava "muito brabinha". A resposta veio num diálogo de Manuela com o tucano Wambert Di Lorenzo, no qual a candidata pediu licença para se dirigir ao prefeito. "Eu não estou brabinha, o senhor é machista", retrucou a comunista, afirmando ainda que o prefeito havia chamado uma jornalista de "urubu" e engenheiros de "vagabundos". Fortunati pediu direito de resposta e, ao falar, retirou o adjetivo, mas disse que não aceitava a acusação de ser machista e negou ter usado termos como "urubu" e "vagabundos", qualificando as acusações de "levianas".

Villaverde também discutiu com o prefeito pedindo explicações sobre a ativação de jatos de água dos recém-inagurados chafarizes luminosos do Largo Glênio Peres durante comício que fazia na noite de quinta-feira. Como os jatos d''água saíram repentinamente do chão, diversos espectadores ficaram molhados. Fortunati garantiu que a empresa responsável pela instalação do sistema assumiu uma falha e isentou a prefeitura de qualquer responsabilidade. "Seria leviandade achar que a prefeitura iria interferir em qualquer atividade democrática como um comício", sustentou.

A pesquisa mais recente do Datafolha, publicada pelo jornal Zero Hora desta sexta-feira, mostra Fortunati com 47% das intenções de voto, Manuela com 24%, Villaverde com 9%, Roberto Robaina (PSOL), com 2%, Di Lorenzo (PSDB) com 1% e Jocelin Azambuja (PSL) e Érico Correa (PSTU) com menos de 1%. A amostra, contratada pelo Grupo RBS e Folha da Manhã S.A., foi feita com 1.152 entrevistados entre os dias 25 e 26 de setembro e tem margem de erro de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O registro no TRE/RS foi feito sob o número 224/2012.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012Porto Alegredebate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.