Força Sindical 'abre as portas' para Eduardo Campos

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB e possível candidato a presidente da República, ouviu nesta segunda-feira do secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, que, no momento em que ele decidir se candidatar "as portas da Força Sindical estão abertas" para ele. A afirmação foi feita no gabinete do governador, em encontro fechado, que teve como principal tema a Medida Provisória 595, a MP dos Portos.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

04 de março de 2013 | 19h47

Campos não comentou a afirmação do líder sindical, preferindo criticar o lançamento da candidatura da presidente Dilma pelo ex-presidente Lula. "A antecipação deste debate acaba atrapalhando o andamento do País, deixando em segundo plano questões importantes para o País avançar", disse ele.

O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, disse que a aliança com Eduardo Campos - pela mudança da MP - pode se desdobrar em uma aliança política, mas frisou que esta não foi a finalidade do encontro desta segunda-feira. "Não viemos aqui fazer política", afirmou. "Quem está fazendo campanha ate agora é só a presidente Dilma". Para o deputado e líder sindical, isso é "um erro".

No encontro, Eduardo Campos criticou "a falta de diálogo do governo federal" em relação à MP dos Portos, editada em 6 de dezembro do ano passado. "Não houve debate prévio", reclamou.

Depois da reunião, em entrevista, o governador disse que a MP tem pontos positivos. "Queremos que haja concorrência nos portos brasileiros, precisamos baixar e reduzir custo da logística no Brasil, o que tem interface direta com a economia".

Paulinho garantiu que se o governo federal não atender os trabalhadores - espera-se um acordo até o dia 15 - os portuários poderão paralisar todos os portos do Brasil, com uma greve por tempo indeterminado.

Suape

O temor de Pernambuco com a MP dos Portos é a perda de autonomia da administração de Suape, considerado um porto ágil, para realizar licitações de novos terminais e escolher novas áreas a serem arrendadas pelo setor privado. Em Suape estão em processo de licitação o segundo terminal de contêineres (Tecon Suape 2, que representa um investimento de R$ 800 milhões) e o terminal de graneis sólidos, que complementa o projeto da Ferrovia Transnordestina. Suape tem em carteira R$ 26 bilhões para investimentos previstos na área industrial do complexo portuário.

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo Campossindicatos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.