Força Nacional manterá no Rio parte do efetivo usado no Pan

Parte do efetivo da ForçaNacional de Segurança que atuou no Rio de Janeiro durante osJogos Pan-Americanos deve permanecer na cidade, pelo menos atéo final dos Jogos Parapan-Americanos, que serão realizadosentre os dias 12 e 19 de agosto. Segundo o governador do Rio, Sergio Cabral (PMDB), dos6.000 membros da força destacados para atuar no Pan, 2.400ficarão no Rio "nos primeiros meses". A Secretaria Nacional deSegurança Pública, no entanto, prevê que esse efetivo de 2.400homens das tropas continue na região somente até o final doParapan Após o evento, o contingente será reavaliado pelos governosfederal e estadual. "Estarão aqui 2.400 homens na primeira fasee estamos estudando um contingente expressivo para até o fim doano", declarou Cabral. "O governador fez um exercício que nós estamos tirandoefetivos que estavam fazendo a segurança interna (nos complexosesportivos usados no Pan). Será mantido o efetivo que atuou naparte externa. O cidadão não vai perceber uma diminuição dapresença da Força Nacional", acrescentou o secretário nacionalde Segurança Pública, Luiz Fernando Corrêa. Além da presença de parte do efetivo da FNS usado no Panaté o final do Parapan, o Rio de Janeiro também herdará 550veículos policiais usados no Pan também ficarão no Rio. Um dos impasses para a definição do efetivo da FNS queficará no Rio após o Parapan é o custo de permanência dastropas. "A Força Nacional é um programa de solidariedadefederativa. O Estado cede o homem e a União absorve esse ônusde manter", explicou Corrêa. Na segunda-feira Cabral afirmou que, além da manutenção departe do efetivo da FNS que trabalhou no Pan, pretende pedir ouso de tropas do Exército no patrulhamento ostensivo no Estadoao ministro da Defesa, Nelson Jobim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.