Força e CGT apresentam defesa contra ação do DEM

Centrais negam que festa de 1º e Maio tenha servido de palanque político para a candidata do PT à Presidência

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

13 Maio 2010 | 04h29

 Centrais sindicais alegam que não teria ocorrido propaganda em favor da candidata do PT, Dilma Rousseff, durante evento de 1º e Maio A Força Sindical, o seu presidente, Paulo Pereira da Silva, e a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) apresentaram, nesta quarta-feira, 12, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defesa contra representação ajuizada pelo Democratas (DEM), no último dia 4 de maio, em que são acusados de propaganda eleitoral antecipada a favor da pré-candidata à presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff.

 

Na representação, o partido alega que, no último dia 1º de maio, Dia do Trabalho, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Paulo Pereira da Silva realizaram propaganda antecipada em favor de Dilma Rousseff. O presidente Lula, ao lado da pré-candidata Dilma, após uma síntese de sua administração, afirmou: "Eu quero que quem venha depois de mim - e vocês sabem quem eu quero - saiba que tem que fazer mais e fazer melhor, e fazer muito mais".

 

A Força Sindical e Paulo Pereira da Silva alegam, em defesa, que a festa, que ocorre há 13 anos na Praça Campo de Bagatelle, na zona norte de São Paulo, sempre conta com a participação de diversas autoridades, de vários partidos políticos, sendo, portanto, uma festa democrática. Assim, afirmam, "a saudação aos trabalhadores pode variar de autoridade para autoridade, mas não se constitui em propaganda política".

Mais conteúdo sobre:
Dilma DEM Força Sindical CGT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.