Força critica decisão do governo de manter MP dos bingos

A Força Sindical e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (Contratuh) divulgaram nota lamentando e criticando a decisão do governo federal de não alterar a medida provisória que determinou o fechamento de casas de jogos no País. O pedido de mudança na MP ocorreu ontem durante manifesto que reuniu 20 mil pessoas em Brasília pelo presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, aos ministros do Trabalho Ricardo Berzoini e da Justiça, Márcio Thomaz Bastos.Na nota, as duas entidades afirmam ser "inaceitável que um governo de um partido que se intitula defensor dos trabalhadores tenha tal conduta com os brasileiros que perderam seus empregos, devido a um funcionário corrupto do Palácio do Planalto", numa referência ao ex-funcionário da Casa Civil, Waldomiro Diniz .A central sindical diz que o fechamento das casas de jogos irá provocar o desemprego de 120 mil trabalhadores. "Nenhum governo ou grupo de empresas demitiu, em um só dia, 120 mil trabalhadores diretos, comprometendo o emprego de mais de 200 mil indiretamente", protesta a entidade.No comunicado, a Força Sindical e a Contratuh informam que decidiram suspender a manifestação por considerar "desumano" que 30 mil trabalhadores continuassem acampados em frente ao Palácio do Planalto. Porém, anunciam que permanecerão mobilizados diante do Congresso Nacional enquanto continuar o debate sobre a MP dos bingos."A partir de hoje, em qualquer lugar do País, onde houver um membro do governo em atividade pública, lá estarão os trabalhadores dos bingos para protestar democraticamente contra o desemprego e a insensibilidade do governo que prometeu criar 10 milhões de empregos", finaliza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.