Foragido do País, Pizzolato será procurado pela Interpol

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do mensalão, passa a ser procurado pela Interpol. Segundo o delegado de plantão da Polícia Federal Marcelo Nogueira, uma foto de Pizzolato foi enviada para todas as polícias do mundo em um sistema chamado de Difusão Vermelha.

THAISE CONSTANCIO, Agência Estado

16 de novembro de 2013 | 14h49

Pizzolato está foragido do Brasil e usará sua dupla cidadania para tentar novo julgamento na Itália. O ex-diretor do BB teria deixado o País há 45 dias. Ele teria fugido por terra, por Pedro Juan Caballero, no Paraguai. De lá, ele foi para a Itália. Na sexta-feira, 15, o STF expediu mandado de prisão contra 12 condenados e apenas Pizzolato não se apresentou.

O advogado Marthius Sávio Lobato afirmou que já não defende mais Pizzolato, já que seu trabalho terminaria com o trânsito em julgado da ação.

Tudo o que sabemos sobre:
MENSALÃOPIZZOLATO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.