Foliões satirizam prisão de Arruda em bloco no Rio

'O Arruda vai passar o carnaval na prisão. Isso ninguém nos tira', comemororu um folião

Clarissa Thomé, Agência Estado

12 Fevereiro 2010 | 19h37

 

Se em Brasília o governador José Roberto Arruda foi poupado da exposição pública no momento da sua prisão, no Rio, a irreverência dos blocos de rua não o perdoou. Um Arruda de terno e bermuda desfilou algemado pela Avenida Rio Branco, no Centro. Entre "lágrimas de crocodilo", distribuiu panetones e balbuciou que era inocente. A brincadeira foi do Embaixadores da Folia, bloco que desfila no seu 11º carnaval.

 

Veja também:

linkMarco Aurélio mantém prisão de governador José Arruda

linkSuplente de deputado do caso Arruda é considerado foragido

linkPaulo Octávio já é alvo de 4 pedidos de impeachment

blog Blog do Bosco: Arruda se licencia para evitar intervenção

documento Leia a íntegra da decisão do ministro Marco Aurélio Mello

especial Entenda a operação Caixa de Pandora

 

"Fazer a crítica social foi a função das marchinhas e dos blocos, no passado. Queremos retomar essa tradição", disse o funcionário público Cláudio Cruz, que comemorou a prisão do governador. "Estou feliz. Dá muita raiva ver esses caras, guardando o nosso dinheiro em meia e cueca, rindo, orando. Agora o povo sofrido vai desfilar. Até o mendigo da Rio Branco pode sair da calçada e desfilar. Mas o Arruda vai passar o carnaval na prisão. Isso ninguém nos tira."

 

O governador do Distrito Federal foi encarnado pelo aposentado Benedito Ramos Pereira, de 56 anos, que já incorporou Bin Laden, em outros carnavais do Embaixadores. "Não tenho nada a ver com o governador. Eu também gosto de dinheiro - mas só do que é meu", fazia questão de ressaltar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.