Folha de pagamentos do Congresso aumenta R$ 860 milhões em 2011

A folha de pagamentos do Congresso em 2011 terá aumento de R$ 860 milhões, segundo dados levantados pela ong Contas Abertas. O cálculo do impacto no orçamento contabiliza não apenas ao aumento de 62% dos salários de deputados e senadores na ativa, aprovado no fim do ano passado, mas também os encargos devidos aos aposentados e pensionistas.

Jose Orenstein,

18 de janeiro de 2011 | 14h05

Em 2010, a Lei Orçamentária Anual previa despesas de R$ 5,5 bilhões (dos quais foram gastos R$ 5,3 bi) com Câmara e Senado; neste ano a previsão é de R$ 6,2 bilhões. Na Câmara, o aumento será de R$ 549,2 milhões em relação ao que foi efetivamente gasto no ano passado. Só a elevação do salário dos parlamentares e de servidores da Casa (concedido em julho) responde pelo acréscimo de R$ 269,7 milhões. Os aposentados e pesnionistas receberão R$ 145 milhões e R$ 27,8 milhões são devidos a constribuições patronais.

No Senado, o aumento total previsto sobre o que foi gasto no ano passado é de R$ 312 milhões. Segundo a Conta Abertas, o acréscimo é devido, além do aumento do salário dos senadores, a mudanças no plano de carreira dos servidores da Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.