''Foi tudo às claras'', diz advogado

O advogado criminal Vicente Cascione, que defende Fabrizio Pierdomenico e os outros denunciados na ação penal sobre suposta fraude no porto, disse que a troca de correspondências entre o executivo e a Santos Brasil reforça a lisura do negócio. "As cartas revelam mais uma vez que não se trata de nada oculto nem espúrio porque tratativa de lobby, uma tratativa que envolva qualquer negócio ilícito normalmente não é feita escancaradamente, formalmente, em papel timbrado que fatalmente estará arquivado na companhia", alertou Cascione. "Quem quer fazer coisa escondida ou escusa vai fazer em almoços reservados ou na calada da noite, jamais por meio de ofícios abertos, públicos, idôneos."Para ele, os papéis mostram que nada foi feito à margem da legalidade. "O que é pecaminoso é feito nas trevas. Tudo foi feito às claras, inclusive com pareceres da Advocacia-Geral e de outros órgãos do governo. Como falar em lobby se está tudo registrado? Que negócio escuso é feito às barbas de todo mundo?"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.