Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Flavio Rocha deixa diretoria de grupo para concorrer à Presidência; PRB pode ser destino

Grupo Guararapes confirma que empresário entregará cargo na empresa em abril; Rocha deve se reunir com deputados do PRB semana que vem em Brasília

Fátima Laranjeira e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

23 Março 2018 | 20h42

BRASÍLIA E SÃO PAULO - O empresário Flávio Rocha, dono da Riachuelo, vai deixar a diretoria da Guararapes Confecções, para concorrer à Presidência da República nas eleições deste ano. Ele só exercerá suas funções nos cargos que ocupa até o término de seu mandato, no final de abril, informou a empresa em nota nesta sexta-feira. 

+ ‘O mercado quer um candidato de direita, não de centro’, diz Flávio Rocha

+ Em vídeo, Flávio Rocha chama integrantes do MST de 'terroristas' e 'vagabundos'

"Em razão do tempo a ser depreendido no exercício das atividades de candidato à Presidência da República, a companhia informa (...) que Flavio Gurgel Rocha não será indicado para reeleição ao cargo de diretor de Relação com Investidores, de modo que seu substituto será eleito pelo conselho de administração da companhia em reunião a ser realizada em 27 de abril, data em que ocorrerá a Assembleia Geral Ordinária", diz a empresa.

Rocha tem conversas avançadas com o PRB para se filiar ao partido e tentar se viabilizar como candidato ao Planalto pela legenda. Em busca de apoio interno na sigla, o empresário se reunirá na próxima quarta-feira em Brasília com deputados federais do PRB.  O encontro foi sugerido pelo presidente do partido, o ex-ministro Marcos Pereira. 

As conversas entre o dono da Riachuelo e o PRB começaram ainda no ano passado. Logo nos primeiros encontros, a legenda afirmou que o foco da sigla para as eleições deste ano não era eleger presidente da República e, sim, uma grande bancada no Congresso Nacional. Mas não fechou as portas para a candidatura ao Planalto. Disse que, se ele se viabilizar, o partido pode vir a bancar a candidatura dele

+Economista propõe plano liberal para Bolsonaro

A tese mais forte definida hoje por integrantes da cúpula do PRB, porém, é de que o empresário, que é pernambucano e já foi deputado federal, se filie ao partido e seja candidato a vice-presidente na chapa de algum candidato de direita, possibilidade que o próprio Rocha não descarta. Poderia ser vice do senador Álvaro Dias (Podemos), do deputado Jair Bolsonaro (PSL) ou até do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.