Flagelados da seca fizeram nove saques em 2001

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece) informou hoje a que a seca já provocou, este ano, 57 ocupações de cidades e nove saques a caminhões carregados de alimentos e a armazéns de merenda escolar. Os agricultores também estão bloqueando estradas e cobrando pedágio, principalmente na BR-020, sertão central do Estado.A cidade de Irauçuba, a 148 km de Fortaleza, foi invadida quatro vezes por agricultores famintos, que acabaram sendo atendidos com cestas básicas da prefeitura. O município decretou estado de calamidade. A perda da safra ultrapassa 90%.Na segunda-feira, Araçoiaba e Tamboril, a 82 e 329 quilômetros de Fortaleza, foram invadidas por trabalhadores rurais que exigiam trabalho e comida. Em Tamboril, o movimento contou com a participação de 800 pessoas. Segundo o diretor da Fetraece, Joseane Silveira, o governo do Ceará ainda não está prestando socorro às vítimas da seca. "Tem muita conversa. Mas, efetivamente, nada foi feito", criticou. "Nem mesmo a distribuição de cestas básicas, anunciadas pelo governador Tasso Jereissati (PSDB-CE) para este mês e o próximo", disse.O superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Valdomiro Távora, disse que nem todos os produtos que compõem a cesta básica chegaram. "Infelizmente, alguns itens, como a sardinha e a carne enlatadas, foram adquiridos em outros Estados. É por isso que a distribuição para os municípios ainda não foi iniciada", justificou Távora. Ele acredita que até a próxima sexta-feira os quatro pólos da Conab mobilizados nas cidades de Iguatu, Juazeiro do Norte, Russas e Crateús estarão abastecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.