´Fizeram da Câmara um balcão de negócios´, diz líder do PFL

O líder do PFL, Rodrigo Maia (RJ), acusou na terça-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "pelo balcão de negócios em que a Câmara se transformou por causa da disputa pela presidência da Casa". "Como o presidente Lula não escolheu o ministério, o deputado Arlindo Chinaglia sentiu-se no direito de transformar isso aqui em balcão de negócios", afirmou ele. "Digo que há um balcão de negócios porque nada que tem sido falado foi desmentido, a não ser a promessa de que a presidência de Furnas seria dada ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)", continuou. "Ele logo se apressou a dizer que não existe nada disso". Maia afirmou que na Câmara comenta-se, por exemplo, que dois deputados estão cotados para o Ministério dos Transportes: Tadeu Filippelli (PMDB-DF) e Fernando Diniz (PMDB-MG) e que a Infraero seria entregue para o senador eleito Joaquim Roriz (PMDB-DF). "Isso é falado por todo lado e ninguém desmente", atacou o líder do PFL. "Fizeram da Casa um balcão de negócios".Na terça-feira, o grupo suprapartidário de deputados que defende uma terceira opção na disputa pela presidência da Câmara decidiu indicar o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR) para concorrer contra o atual presidente, Aldo Rebelo (PC do B-SP), e o líder do governo na Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP).A indicação provocou uma reviravolta dentro do PSDB, que agora tende a retirar o apoio anteriormente anunciado ao candidato petista e a votar em bloco no candidato da chamada terceira via.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.