Fizemos campanha para Dilma e seremos governo, diz Kassab

Ex-prefeito afirmou que ainda não discutiu com presidente o espaço que o PSD terá no novo mandato da petista

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2014 | 11h15

BRASÍLIA - Em meio às discussões sobre a reforma ministerial, o presidente nacional do PSD e ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, aguarda o momento de ser chamado pela presidente Dilma Rousseff para definir os espaços da legenda no novo governo da petista. De passagem por Brasília, Kassab conversou com o Broadcast Político e disse que "a bola está com a presidente". 


"Fizemos campanha para ela e seremos governo. Isso é natural, faz parte da democracia", afirmou. "Mas a bola está com a presidente, não tem conversa ainda. Ela saberá o momento", acrescentou. 


Segundo ele, não há previsão de conversa com a presidente no dia de hoje e vinda a Brasília se restringe apenas ao recebimento da medalha Mérito Legislativo, que será entregue na manhã desta quarta-feira na Câmara dos Deputados ao ex-prefeito e a 46 personalidades e entidades.


Questionado sobre a possibilidade de ele fazer parte do novo governo, Kassab, derrotado na última eleição para o Senado, desconversou: "Não vou responder isso porque vão dizer que eu quero ser ministro. Não temos nenhuma reivindicação". Atualmente, o PSD ocupa a Secretaria de Micro e Pequenas Empresas, comandada pelo ministro Afif Domingos. Ele, no entanto, é considerado um nome da "cota pessoal" da presidente. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.