Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Fita falsa ajuda Jader, diz Lobão

O presidente interino do Senado, Edison Lobão (PFL-MA), disse ontem que o presidente licenciado, Jader Barbalho (PMDB-PA), será favorecido, no Conselho de Ética, pela constatação de que uma das ?provas? apresentadas contra ele - uma fita gravada - é falsa. "A descoberta não desmoraliza o trabalho do conselho, mas o compromete em parte", afirmou. Lobão se referia à constatação de que foi forjada a gravação em que deputado estadual Mário Frota (PDT-AM) supostamente dizia a um empresário que Jader exigia uma propina US$ 5 milhões para autorizar a liberação de recursos da Sudam. Ficou provado em perícia que a voz na fita é do assessor Nivaldo Marinho, tentando imitar o deputado."Ele sempre negou que o fato fosse verdadeiro", alegou. "Aliás, o presidente licenciado tem se queixado muito de ser vítima de articulações dessa natureza". Lobão disse que não vai adotar nenhuma providência judicial para que Jader Barbalho venha a ser indenizado. Mas que o próprio presidente licenciado poderá fazer isso, por intermédio da Procuradoria-geral do Senado, "que existe para defender o Senado e os senadores". A informação do ex-funcionário público Nivaldo Marinho, de que aliados de Jader teriam forjado a fita, foi recebida com surpresa pelo presidente licenciado do conselho de ética, senador Gilberto Mestrinho (PMDB-AM). Ele considerou "uma indignidade" o fato de ter tido seu nome relacionado a uma suposta operação montada para desqualificar as acusações contra Jader. ?Fica claro que o meu nome não foi relacionado em nenhum momento", disse. Mestrinho disse que não acredita na participação de Jader Barbalho nesse episódio. "Foi uma armadilha que fizeram contra ele", defendeu. "Por mais que a prática política esteja desacreditada, não dá para acreditar numa coisa dessa", justificou. Para o senador, a Polícia Federal deve aprofundar as investigações para identificar e punir todos os envolvidos na gravação da conversa forjada. O líder do bloco da oposição, José Eduardo Dutra (PT-SE), minimizou o fato da denúncia ser falsa. Segundo ele, essa é a menor das acusações existentes contra Jader Barbalho. Na sua opinião, a intenção de quem armou a manobra era a de atingir o deputado Mário Frota, e não o senador. "O assunto está encerrado", constatou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.