Fiscalização retém 15 caminhões na divisa do Paraná

A fiscalização empreendida pelo governo do Paraná desde segunda-feira para impedir a entrada de soja transgênica no Estado resultou na retenção de 15 caminhões - 14 deles no Posto de Fiscalização Melo Peixoto, em Jacarezinho, e um no posto Jorge Radziminski, em Porecatu. Os testes realizados pelos técnicos da Empresa Paranaense de Classificação de Produtos (Claspar) mostraram que eles tinham soja transgênica. Todos pertenciam à Transportadora Viana, que trazia soja de Primavera do Leste (MT). Segundo a Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab), os exames laboratoriais contratados pela transportadora também deram positivo, com exceção de um, que seria refeito. Os caminhões não puderam entrar no Estado. Os técnicos que acompanham os trabalhos nos postos de fiscalização disseram que no fim da tarde de hoje não existiam mais filas de caminhões. Os testes continuarão a ser feitos até segunda-feira nesses postos, mas, de acordo com a Seab, muitos caminhoneiros já estão chegando à divisa do Paraná com os documentos que certificam a soja. A partir de segunda-feira, quando o governador Roberto Requião (PMDB) sancionará a lei que veda o cultivo, a manipulação, a importação, a industrialização e a comercialização de organismos geneticamente modificados, o Departamento de Fiscalização da Seab reavaliará as estratégias para conter o ingresso de soja transgênica no Estado.

Agencia Estado,

24 Outubro 2003 | 19h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.