Fiscais libertam 50 trabalhadores escravos

Cerca de 50 trabalhadores rurais que eram mantidos como escravos na Fazenda Tuerê, em Senador José Porfírio, no sudoeste do Pará, foram libertados no sábado por fiscais do Grupo Móvel do Ministério do Trabalho de Brasília e agentes da Polícia Federal. Os homens, todos da cidade de Pindaré (MA), foram contratados para desmatar uma área da fazenda, mas não recebiam salários havia quatro meses e nem tinham carteira de trabalho assinada. O gerente da fazenda, Divino Andrade Vieira, se comprometeu a pagar R$ 52 mil em salários atrasados e regularizar a situação trabalhista dos empregados. Os fiscais informaram que nenhum dos trabalhadores quer ficar na fazenda, onde todos teriam sido maltratados e passado fome. Eles preferem retornar ao Estado do Maranhão. A Polícia Federal abriu inquérito para apurar o caso. Esta não seria a primeira vez que situação de trabalho escravo estaria ocorrendo naquela fazenda. Em apenas um ano, cerca de 1.200 trabalhadores encontrados em regime de semi-escravidão foram libertados de seis fazendas no Pará. Nenhum infrator foi processado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.