Fim da reeleição não será prioridade de Lula, diz porta-voz

Por meio do porta-voz Marcelo Baumbach, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira, 18, que não vai priorizar o debate da proposta de fim da reeleição para cargos do Executivo. "O presidente Lula historicamente tem se posicionado contra a reeleição e a favor do mandato de cinco anos", disse Baumbach. "O presidente não está preocupado com a reeleição."Baumbach ressaltou que o governo não vai tomar medidas a respeito da proposta, levantada pelo deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA), um aliado do governador de São Paulo, José Serra. "Cabem aos políticos e ao Congresso deliberarem sobre o fim da reeleição", afirmou o porta-voz. José Serra esteve esta tarde com Lula no Planalto. A assessoria do presidente informou apenas que, durante a audiência, eles não conversaram sobre política.Conselho da coalizãoRessuscitada nos últimos dias por setores da base aliada ao Executivo e pela oposição, a possibilidade de acabar com a reeleição será levada à discussão no conselho da coalizão de governo pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, na próxima segunda-feira.O assunto é parte de uma série de propostas para a reforma política que está sendo organizada há meses pelo ministro. O próprio presidente Lula, por exemplo, já defendeu que haja fidelidade partidária, financiamento público de campanhas e votação em lista partidária.Admitindo que o tema da reeleição é complexo, Tarso aponta que a idéia é discutir inclusive se o País já teve tempo suficiente para avaliar o sistema. Outro ponto que deve ser avaliado é a forma como esse debate poderá interferir em projetos prioritários, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)."Que o governo é favorável, é", diz Tarso, sobre o fim da reeleição. "O presidente Lula já se manifestou. Nós vamos abrir agora uma discussão no conselho político para ver se há interesse do Parlamento e da base do governo." (Colaboraram Clarissa Oliveira e Fausto Macedo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.