Fim da CPMF poderá elevar a taxa de juros, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje, durante audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para discutir a prorrogação da CPMF, que a taxa de juros pode ser elevada se a prorrogação da tributo não for aprovada pelo Senado Federal. Segundo ele, a não aprovação da CPMF representaria uma ameaça para a estabilidade fiscal do País. "Se tirar a CPMF haverá sim conseqüências. E não é de redução da taxa de juros. A taxa de juros poderá ser elevada, porque ameaçaria esse equilíbrio fiscal que nós alcançamos", afirmou Mantega. Durante esta semana o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, também havia manifestado a mesma preocupação. Segundo o ministro não seria fácil fazer um rearranjo do orçamento, sem a arrecadação da CPMF e o superávit primário estaria ameaçado. Segundo ele, nem que o governo fizesse zero de investimentos dos R$ 18 bilhões previstos para 2008, não daria para cobrir a perda de arrecadação da CPMF, e os investidores começariam a perguntar como é que o governo conseguiria fazer o superávit sem o dinheiro da CPMF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.