Filiada ao PSDB há 19 anos, chefe da AGU diz que deixará partido

Filiada ao PSDB há 19 anos, chefe da AGU diz que deixará partido

Segundo a AGU, a ministra 'se surpreendeu' com o registro de filiação, do qual 'não se recorda de ter feito'

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2016 | 20h41

BRASÍLIA - Depois de 19 anos de filiação ao PSDB, a nova chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), Grace Mendonça, informou nesta quarta-feira (21) que vai pedir para sair dos quadros do partido. O caso foi revelado pela coluna "Expresso", da revista "Época".

Em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", a ministra havia afirmado que nunca fez política na sua vida profissional. "A advogada-geral reitera que jamais participou de atividade partidária por qualquer agremiação. Sua atuação à frente da Advocacia-Geral da União é eminentemente técnico-jurídica e voltada ao exercício de uma advocacia pública de Estado", comunicou a assessoria da AGU, em nota.

Segundo a AGU, a ministra "se surpreendeu" com o registro de filiação, do qual "não se recorda de ter feito". "Diante deste fato, ainda que reconhecendo a importância das legendas no Estado Democrático de Direito, Grace Maria Fernandes Mendonça vai, cordialmente, solicitar sua imediata desfiliação", comunicou a AGU.

Única mulher a compor o ministério do governo de Michel Temer, Grace Mendonça assumiu a AGU em 14 de setembro, depois da demissão de seu antecessor, Fábio Medina Osório, que entrou em rota de colisão com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Fábio Medina alega que não foi "subserviente" à Casa Civil e lançou dúvidas se Grace terá "autonomia" à frente da pasta. A nova advogada-geral da União (AGU) considerou "infundadas" as acusações de seu antecessor de que o governo estaria tentando abafar a Operação Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.