Filhos de Lula o defendem nas redes sociais

Publicações questionam a 22ª fase da Operação Lava Jato, que investiga um apartamento tríplex no Guarujá ao qual a família do ex-presidente teria direito

Luiz Maklouf Carvalho, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2016 | 18h30

Em uma de suas postagens no Facebook, nessa quinta-feira, 28, Fábio Luis Lula da Silva, o filho mais velho do ex-presidente Lula, adicionou um link sobre o “mercado imobiliário suspeito brasileiro”. É um pôster ilustrado com seis casos de compras de imóveis supostamente suspeitas. Cita, pela ordem, com as respectivas compras, ou venda, a jornalista Patrícia Poeta, os senadores Aécio Neves e Álvaro Dias, o ex-ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e, por último, “Lula, 65 anos, metalúrgico e ex-presidente - Desistiu de um apartamento no Guarujá avaliado em R$ 1,5 milhão”. Segue, então, a pergunta: “Por que apenas Lula é alvo da imprensa e da Lava-Jato?”.

O link foi postado, originalmente, no facebook de Aninha Ornellas. Fábio Luis o compartilhou, junto com um comentário: “Gostaria de saber que metodologia a PF usa para fazer suas investigações de imóveis suspeitos”. Patrícia Poeta encabeça a lista: “comprou apartamento na Vieira Souto, Rio, por R$ 23 milhões”. Aécio Neves “tem Apt no Rio de Janeiro, de R$ 6,5 milhões, declarado com valor 60 vezes abaixo de seu preço de mercado”. Álvaro Dias “vendeu 5 casas em Brasília por R$ 16 milhões”. Joaquim Barbosa “comprou apartamento em Miami por U$ 1 milhão em nome de uma empresa de fachada”. FHC “comprou de um trensaleiro de SP um apartamento em Paris avaliado em R$ 11 milhões”.

Todos os casos citados têm informações erradas ou imprecisas. E nenhum está sob investigação da Polícia Federal. Tirante o do edifício Solaris, no Guarujá. Todos os cinco filhos do ex-presidente Lula usam seus perfis no Facebook para defender o pai - uns com mais posts, outros com menos. Ontem, por exemplo, Fábio Luis, Sandro Luis e Marcos Cláudio compartilharam um twitter do senador Roberto Requião, do PMDB do Paraná: “A OAS teria assumido um edifício inteiro da Bancoop só para dar um apartamentinho de uma mil ha ao Lula? Ora, vão se lixar nas ostras!”, escreveu o senador em seu estilo peculiar.

 

 

Quem o compartilhou, primeiro, foi a senadora (e ex-ministra da Casa Civil) Gleisi Hoffmann. “Esse twitter do Roberto Requião resume a indignação que todos nos estamos sentindo pela perseguição descarada, sistemática, odiosa que estão fazendo contra Lula. É a velha inquisição da modernidade: não consigo combater suas ideias, não consigo disputar sua liderança, não consigo parar você, então destruo o que você é”, tuitou a senadora do PT. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.