Filho de Renan recebeu R$ 7 mi em doações

Não há evidências de que Renan Filho será, como o pai, alvo de investigações por envolvimento com o caso

O Estado de S. Paulo

07 de março de 2015 | 21h00

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não disputou as eleições de 2014, pois seu mandato de oito anos começou em 2011. Mas suas conexões eleitorais com o setor da construção civil ficam evidentes quando se analisam as doações de empreiteiras a seu herdeiro político, Renan Filho (PMDB), que no ano passado se elegeu governador de Alagoas.

Seis das empresas acusadas de formar um cartel que superfaturava contratos com a Petrobrás e de outras obras doaram R$ 7,3 milhões para a campanha de Renan Filho. Ou seja, sozinho, o alagoano recebeu mais da metade do que o mesmo cartel destinou às campanhas de 20 políticos envolvidos no escândalo da Operação Lava Jato.

Não há, até o momento, evidências de que Renan Filho será, como o pai, alvo de investigações por envolvimento com o caso. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ainda não encaminhou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) os pedidos de inquérito relativos a governadores eleitos suspeitos de irregularidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.