Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Filho de Bolsonaro desmente futuro ministro sobre escolha de responsável por comunicação

O vereador Carlos Bolsonaro é crítico da imprensa e foi citado por Bebianno nesta quarta-feira, 21, como um possível nome para assumir a Secretaria de Comunicação

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

21 Novembro 2018 | 17h26

BRASÍLIA - Um dos filhos do presidente eleito, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), do Rio, negou que contribuirá para a escolha do responsável pela comunicação do futuro governo. Pelo Twitter, Carlos desmentiu declaração dada pelo futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, na manhã desta quarta-feira, 21. "Nada disso será tratado comigo", escreveu Carlos sobre a notícia.

Mais cedo, Bebianno disse que Carlos é uma pessoa que "sempre esteve à frente dessa comunicação" e que a escolha da disposição da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) passará pelo filho e pelo pai, Jair Bolsonaro. "Ele (Carlos) desenvolveu um trabalho brilhante. E talvez sem ele a campanha não tivesse se desenvolvido bem. Aliás, é um trabalho que se desenvolve há muitos anos", elogiou.

Na rede social, na tarde desta quarta, Carlos criticou a imprensa e disse que há "conluio" para invenções de todo lado. Sem citar nomes, disse que "trata-se de uma simbiose de quem sempre fez parte do sistema com o sistema descarado". "Quem não tem capilaridade usando quem tem para tirar proveito pessoal e no fim o Brasil perde!", continuou.

Ao ser questionado pela imprensa, Bebianno não descartou a possibilidade de Carlos deixar o cargo de vereador para trabalhar em Brasília. O anúncio de que Bebianno será ministro foi feito por Onyx Lorenzoni, ministro da transição, e ainda não foi feito pelo próprio Bolsonaro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.