Filha do chefe do Fisco atua com senador acusado de sonegação

Leda Cartaxo trabalha no gabinete de Roberto Cavalcanti, afirma ?Época?

Moacir Assunção, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2009 | 00h00

A filha do secretário da Receita Federal Otacílio Cartaxo - funcionário encarregado de cobrar impostos de empresas e contribuintes em geral - trabalha no gabinete do senador Roberto Cavalcanti (PRB-PB), em Brasília. Ele é acusado pelo Ministério Público de seu Estado de sonegação de milhões de reais em impostos. A revelação é do site da revista Época. De acordo com a publicação, Leda Camila Pessoa de Mello Cartaxo é formada em direito e ocupa o posto de assistente parlamentar, com salário de R$ 2,8 mil, na cota de cargos preenchidos sem concurso público a que todos os 81 senadores têm direito. Sua nomeação ocorreu em março, após Cavalcanti, que é suplente, assumir o cargo com a renúncia do titular, José Maranhão (PMDB), hoje governador da Paraíba.Na ocasião, Cartaxo - que substituiu a ex-secretária da Receita, Lina Maria Vieira - era adjunto da secretária demitida. Ela protagoniza uma saia-justa com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que, segundo Lina, lhe pediu que "agilizasse" o processo da Receita contra o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Empresário, o senador Cavalcanti foi acusado pelo Ministério Público da Paraíba de envolvimento no chamado "escândalo da Fazenda Nacional".O caso envolve denúncias de sonegação de milhões em impostos. De acordo com a apuração dos promotores, empresas quitavam dívidas por um milésimo do valor do débito. Dezenas de processos contra os empresários envolvidos, entre eles o parlamentar, estão em tramitação na Justiça.A revista localizou, por telefone, Leda Camila no gabinete do senador Roberto Cavalcanti. Ao atender a reportagem, a moça disse que não estava autorizada a comentar seu processo de nomeação e transferiu a ligação ao chefe de gabinete, Marco Aurélio de Oliveira. AMIZADE Durante a conversa, Marco Aurélio informou que Leda se habilitou à vaga e apresentou currículo como qualquer pretendente. Segundo a reportagem da revista Época, o chefe de gabinete admitiu, no entanto, que a amizade entre Otacílio Cartaxo e o parlamentar pesou na hora da contratação de Leda."Eles são amigos há mais de 30 anos", revelou Marco Aurélio. A reportagem perguntou ao novo secretário da Receita Federal, confirmado para o cargo anteontem pelo ministro Guido Mantega, o que ele achava de a filha prestar serviços a um senador investigado por sonegação. Por intermédio de sua assessoria de imprensa, Cartaxo informou que não se manifestaria. Ontem, o Estado tentou localizar o senador Cavalcanti e a servidora no Senado para que eles comentassem o assunto, mas não obteve sucesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.