Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Filha diz que saúde de Genoino 'preocupa bastante' e que vive 'horror'

Deputado federal licenciado está preso no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília

Fernando Gallo - O Estado de S.Paulo,

17 de novembro de 2013 | 18h33

SÃO PAULO - Miruna Genoino, uma das filhas do deputado federal licenciado José Genoino (PT), afirmou neste domingo, em carta publicada no Facebook, que o estado de saúde de seu pai "preocupa bastante" e declarou que os familiares do petista vivem um momento de "horror".

Genoino está preso no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília. Ele passou mal em pelo menos três ocasiões desde a sexta-feira, quando se apresentou à Polícia Federal. Na madrugada deste domingo foi atendido por um médico particular na prisão, a pedido da família.

Genoino passou há algumas semanas por uma cirurgia de dissecção da artéria aorta, de alto risco, e ainda inspira diversos cuidados médicos.

"Segundo o médico, meu pai está de certa forma tranquilo, mas está muito cansado e isso nos preocupa bastante. Ele precisa tomar muitos remédios, fazer controle sanguíneo e seguir uma dieta alimentar específica para sua condição. Meu pai ainda está com uma alteração do nível de coagulação do sangue e isso precisa ser minuciosamente acompanhado", declarou Miruna.

A filha de Genoino sustentou que a família luta pela prisão domiciliar para o pai - os advogados já apresentaram este pedido à Justiça, que ainda não foi apreciado. "Meu pai precisa de cuidados e dentro do horror que estamos vivendo essa é a nossa luta, para que dentro de sua condenação ele tenha os cuidados médicos de que necessita", escreveu Miruna.

Ela também relatou os momentos vividos do lado de fora da prisão, em Brasília, sem poder falar com o pai.

"Estou muito, muito triste e muito, muito cansada, mas de alguma forma tenho encontrado forças para seguir. Hoje estive por quase três horas dentro de um carro, no portão de um presídio, aguardando as notícias do médico. E digo que não há descrever o que é olhar para além dos muros, saber que seu pai está ali, do lado de lá, e saber que você 'não está autorizada a falar com ele'. Ainda bem que algumas formas de comunicação não existe Barbosa no mundo que poderá proibir", afirmou, em referência ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoGenoinoDirceuSTfSupremo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.