Fiesp se une a CNBB nas críticas à política econômica

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, afirmou concordar com as declarações feitas ontem por D. Odilo Scherer, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de que o País seria um "paraíso financeiro", de acordo com nota enviada à imprensa. "Precisamos diminuir corajosa e responsavelmente as taxas de juros para gerar trabalho, distribuir renda e acabar com o ´paraíso financeiro´ que nos tornamos nos últimos anos", afirmou.As críticas do bispo foram feitas ontem pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Na avaliação de Skaf, elas se somam às da Fiesp, e declarou ser necessário um maior controle dos gastos públicos, uma menor carga tributária, a diminuição das altas taxas de juros e um câmbio realista.Skaf anunciou que visitará a CNBB nos próximos dias para cumprimentar pessoalmente D. Odilo Scherer pelas declarações feitas sobre a situação econômica do País e discutir novos caminhos para o desenvolvimento do Brasil. Ele afirmou ainda que convidará o arcebispo de São Paulo, D.Claúdio Hummes, para acompanhar a visita à CNBB. "Somos parceiros na área da Responsabilidade Social", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.