Fiesp apresentará programa econômico a candidatos

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, informou ontem à noite que, tão logo seja definido o cenário das eleições presidenciais - quem serão os candidatos - a entidade vai chamá-los para apresentar um programa econômico "que tem por base priorizar o crescimento". "Isso significa sair desse cenário hostil ao crescimento", disse Skaf, apontando a redução da despesa pública como o caminho a ser sugerido pelos empresários."É preciso reduzir o gasto público, para ter condições de reduzir a carga tributária, reduzir verdadeiramente a informalidade. Se o gasto for reduzido, aumentará a capacidade de investimento público dos ridículos 0,3% do PIB atuais para cerca de 5% a 6% do PIB", disse Skaf, acrescentando: "É preciso também desburocratizar e realizar mudanças estruturais, como as reformas tributária, trabalhista e política".Segundo Skaf, ao apresentar seu projeto para a economia brasileira, a Fiesp pretende obter compromissos dos candidatos "para poder cobrar depois". Ele lembrou que não teve oportunidade de fazer isso nesse mandato porque quando assumiu a presidência da entidade o atual governo já estava em andamento. "Pegamos o bonde andando e agora, nessas eleições, temos a nossa oportunidade", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.