Fidelidade de aliados está alta

O diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Augusto de Queiroz, afirma que o cruzamento dos dados revela que o governo Luiz Inácio Lula da Silva, apesar de ser apresentado publicamente como uma gestão que enfrenta oposição ferrenha no Congresso, governou até agora, em seu segundo mandato, de maneira tranqüila e com folga.O levantamento feito pelo Diap inclui as votações nominais na Câmara e no Senado no primeiro semestre deste ano e considera desde requerimentos como pedidos de adiamento, de retirada de proposta e de inversão de ordem de pauta, até mérito de matérias, proposições e destaques.Tanto na Câmara como no Senado o PT e o PC do B (partidos da base aliada) são os mais fiéis às orientações da liderança. Na Câmara, os parlamentares do PT votaram de acordo com os interesses do Planalto em 88,1% da vezes. No Senado, o apoio foi ainda maior: 91,6%.O PMDB, considerado o principal aliado do governo, por conta de seu tamanho e força política, também esteve fiel às propostas do Palácio do Planalto. Na Câmara, o nível de adesão ao governo foi de 80,2% e no Senado, de 83,3%.

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.