FHC vai discutir aliança estratégica com Zemin

O presidente Fernando Henrique Cardoso reencontra nesta quarta-feira o presidente da China, Jiang Zemin, que volta ao Brasil em busca de apoio do governo brasileiro na discussão de questões estratégicas no cenário internacional."Ele pediu ao presidente um encontro, numa demonstração da importância que atribui à parceria estratégica entre o Brasil e a China", disse o ministro-chefe do departamento de Ásia e Oceania do ministério das Relações Exteriores, Edmundo Fajita. O Brasil foi incluído em um périplo que o presidente chinês está fazendo pelos países da América do Sul - ele já esteve no Chile, na Argentina e Uruguai - e sua passagem será curta: Zemin terá um encontro privado com Fernando Henrique no final da tarde.Horas depois, o casal Cardoso oferecerá um jantar em sua homenagem no Palácio do Itamaraty. Na quinta-feira pela manhã, Zemin segue para Cuba e Venezuela. Segundo Fajita, o governo chinês tem interesse em aumentar sua relação comercial e bilateral com o Brasil, não apenas com o incremento do comércio, mas também na troca de tecnologias.O governo brasileiro mantém um programa conjunto com a China para a construção de satélites. No ano passado, a balança comercial entre os dois países foi de US$ 2,3 bilhões. Os principais produtos que o Brasil exporta para a China são soja e minério de ferro. As exportações brasileiras somaram pouco mais de US$ 1 bilhão no ano passado. Zemin, ainda segundo o ministro brasileiro, também espera tornar mais estreitos os laços políticos que mantém com o Brasil, com vistas à entrada da China na Organização Mundial de Comércio (OMC). "A idéia é ter o Brasil como aliado na defesa dos interesses dos países em desenvolvimento", comentou Fajita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.