FHC quer reunificar base governista

Os líderes do Governo no Congresso, Arthur Virgílio, e no Senado, José Roberto Arruda, deixaram o Palácio da Alvorada, onde se reuniram com o presidente Fernando Henrique Cardoso, afirmando que a determinação do presidente é de trabalhar pela reunificação da base governista. Eles negaram que o presidente esteja tratando de reforma ministerial, destacando que não é o momento para isso.Os líderes informaram que, por enquanto, estão apenas mantendo conversas políticas para, depois que passar o carnaval, estabelecerem a prioridade do governo no Congresso. "Estamos ainda no começo das conversas. É preciso paciência e muito respeito ao tempo", disse Arruda. E completou: "Não se faz entendimentos políticos desta dimensão de um dia para o outro." Virgílio destacou que, do Congresso, o presidente espera "que se vote com boa vontade uma pauta de projetos que tenha a ver com crescimento econômico". Sobre a reunificação da base, ele disse que já recebeu algumas "boas" sinalizações do PFL. Na opinião de Arthur Virgílio, o discurso do deputado Inocêncio Oliveira ontem "foi um discurso de líder de governo". Segundo ele, uma manifestação de que o entendimento não foi rompido foi a candidatura do senador Arlindo Porto à Presidência do Senado. Virgílio destacou que o presidente Fernando Henrique "não tem qualquer arranhão em relação a Inocêncio". Sobre as declarações feitas por Inocêncio na campanha para a Presidência da Câmara, afirmou: "Arroubo é arroubo." E disse estar certo de que o senador Antonio Carlos Magalhães também voltará para a base. "Os próximos dias servirão para decantar. Toda eleição disputada deixa alguma ressaca, alguma mágoa, mas não podemos deixar a luxação virar fratura e a mágoa virar rancor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.