FHC: ''PSDB não quer privatização''

Em nota, ex-presidente contesta discurso do PT, que voltou a atacar

Nélia Marquez e Tânia Monteiro, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

20 de maio de 2009 | 00h00

Em nota divulgada ontem pelo PSDB, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso contestou as acusações de que o partido tem a intenção de privatizar a Petrobrás. Na nota, FHC lembra que durante o debate sobre a quebra do monopólio do petróleo ele enviou carta ao Senado explicitando seu ponto de vista contrário à privatização. "Por isso mesmo, repugna-me ver a utilização de argumentos de má-fé, atribuindo ao PSDB a intenção de privatizar a Petrobrás, quando o partido, como qualquer brasileiro decente, deseja apenas saber se há ou não deslizes graves na administração da companhia", afirmou o ex-presidente.Segundo ele, "não convém" a continuidade de suspeitas sobre a empresa, "essas sim, danosas à empresa e a seu valor de mercado". Em 2006, durante a campanha presidencial, o PT já usava contra o então candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, o discurso de que os tucanos planejam a privatização da estatal.Ontem, a nova líder do governo no Senado, Ideli Salvatti (PT-SC), reiterou o discurso que provocou a ira de FHC e tucanos, após tomar posse do cargo. Ela mais uma vez falou que a oposição esta usando a CPI da Petrobrás para "enfraquecer" a empresa e, assim, facilitar a sua privatização.Desde cedo, o governo se mobilizou para tentar manter o PMDB ao seu lado, fazendo vários elogios ao partido e insistindo na tese de que a instalação da CPI tem objetivo de antecipar a discussão político-partidária visando às eleições de 2010."Em qualquer outro lugar do mundo, todos estariam interessados em preservar a Petrobrás. No Brasil, temos uma parte da oposição que está, talvez, com reminiscências de tentativas frustradas anteriormente, de privatizar a Petrobrás e, agora, estão tendo uma recaída", desabafou Ideli, ao sair do CCBB, onde o núcleo do governo trabalha, e onde foram feitas diversas reuniões para que seja articulada a estratégia de nomeações e de trabalho na comissão parlamentar. Ao dar estas declarações, Ideli devolve, na mesma moeda, as insinuações da oposição de que o governo poderia "mexer" na poupança da população, o que irritou o PT. FRASESFernando HenriqueEx-presidente"O partido, como qualquer brasileiro decente, deseja apenas saber se há ou não deslizes graves na administração da companhia"Ideli SalvattiSenadora (PT-SC)"Em qualquer outro lugar do mundo, todos estariam interessados em preservar a Petrobrás"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.