FHC pega gripe estrangeira

A viagem de dez dias do presidente a países da Ásia acabou rendendo ao presidente Fernando Henrique Cardoso uma forte gripe. Hoje, ele foi ao Planalto pela manhã para empossar o novo ministro das RelaçõesExteriores, Celso Lafer, mas transferiu os demais compromissos da agenda para o Palácio da Alvorada, onde reside. "Está tudo bem", disse um interlocutor do presidente. "Ele está apenas se preservando um pouco", garantiu.A gripe poderá inclusive adiar a visita ao amigo e governador licenciado de São Paulo, Mário Covas. Fernando Henrique está se programando para ir a São Paulo nesta sexta-feira, mas avisou que só irá se melhorar da gripe. O presidente não quer correr o risco de transmitir a gripe ao amigo que está debilitado fisicamente após se submeter ao tratamento de quimioterapia contra câncer. Durante a solenidade, ossintomas da gripe presidencial podiam ser notados: além da voz rouca, ele leu de forma mais lenta que o normal o discurso preparado para a ocasião. Fernando Henrique chegou a se confundir ao finalizar sua fala, atribuindo ao ex-ministro Luiz Felipe Lampreia frase do ministro empossado Celso Lafer. Corrigiu-se em seguida. Abatido, o presidente nem mesmo fez as brincadeiras e improvisações sobre o texto do discurso que o caracterizam, a não ser para falar sobre sua gripe. "Cito como exemplo a viagem que acabo de realizar à Ásia, da qual me deriva essa gripe", disse o presidente. Na viagem oficial à Coréia, Timor Leste e Indonésia - com paradas técnicas no Canadá e África do Sul - o presidente demonstrou extrema vitalidade e resistência, dizendo inclusive aos jornalistas que não estava sentido problemas com a mudança radical de fuso horário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.