FHC pede pressa na reforma política

O líder do PFL na Câmara, Inocênio Oliveira, disse que a conversa dos líderes da base governista com o presidente Fernando Henrique Cardoso, no almoço no Palácio da Alvorada, girou basicamente em torno de dois assuntos: a reforma política e a Lei de Responsabilidade Fiscal. Da conversa, da qual participou também o vice-presidente Marco Maciel, foi feito o apelo para que sejam aprovados rapidamente quatro projetos que tratam da reforma política. São eles: o que dispõe sobre a proibição de coligações partidárias nas eleições proporcionais; o que permite a formação de uma federação de partidos que não tenham alcançado índice de representatividade; o que aumenta o número de vagas por partido para disputa nas eleições proporcionais; e o que induz a fidelidade partidária, aumentando o prazo de proibição para a troca de partidos antes das eleições. Os três primeiros projetos estão em tramitação na Câmara, e o quarto deve ser votado no Senado nos próximos dias.Em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal, Inocêncio disse que o presidente ponderou que sua aplicação deve ser exercitada primeiro, antes de se falar em modificações. Segundo ele, os líderes da base governista concordaram que a Lei não deve ser modificada agora e que o importante, no momento, é aprovar o projeto de lei que institui os conselhos de gestão fiscal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.