FHC pede ajuda ao PFL para desobstruir pauta

O presidente Fernando Henrique Cardoso decidiu pedir socorro ao PFL para que o antigo aliado ajude a desobstruir a pauta de votações da Câmara, travada por 18 medidas provisórias, às quais se somarão outras três, até sexta-feira. Fernando Henrique ligou para o presidente nacional do PFL, senador licenciado Jorge Bornhausen (SC), e disse que gostaria de encontrá-lo no Palácio da Alvorada. Bornhausen respondeu: "Estou às ordens". O senador disse que é amigo de Fernando Henrique e jamais vai virar as costas para o presidente da República. "A posição do partido, de rompimento com o governo, está tomada e não tem nada a ver com minhas relações pessoais", afirmou Bornhausen. Nos bastidores a história é outra. Bornhausen efetivamente não recusará nenhum convite de Fernando Henrique para uma visita ao Alvorada. Nem dirá que não vai ajudá-lo. Mas o PFL pretende continuar longe do governo, pelo menos por enquanto. Os dirigentes do partido afirmam que, apesar dos apelos do presidente da República, o PFL vai dificultar a aprovação do segundo turno da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) na Câmara, e negará o encurtamento dos prazos na passagem da emenda pelo Senado. "O governo vai se arrepender de ter brigado com o PFL", diz o secretário-geral do partido na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (BA).Bornhausen está ansioso para encontrar os presidentes do PSDB e do PMDB, deputados José Aníbal (SP) e Michel Temer (SP). Quer mostrar para os dois que estava certo quando, em janeiro e fevereiro, pedia prazo até março e abril para que os partidos da base aliada escolhessem candidato a presidente da República - aquele que estivesse em melhor condição nas pesquisas. Hoje, esse político é o senador José Serra, candidato tucano à Presidência. "Com os resultados das pesquisas recentes, já temos um indicativo: Lula (Luiz Inácio Lula da Silva, do PT), está no segundo turno", afirma Bornhausen. "Temos de ver agora quem estará com ele, porque existem quatro candidatos com possibilidade de ir para o segundo turno: José Serra, Roseana Sarney (PFL), Anthony Garotinho (PSB) e Ciro Gomes (PSB)", diz o presidente nacional do PFL.Na reunião da Executiva nacional do PFL, amanhã de manhã, Bornhausen ouvirá do prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, uma avaliação das candidaturas à Presidência. Na opinião do Instituto GPP, que faz pesquisas para o PFL, Roseana não cairá mais. "É a hora de trabalharmos para que ela se recupere, e temos vários meses para isso", diz Bornhausen. A cúpula do PFL viaja quinta-feira para São Luís, para dar força a Roseana, que vai deixar o governo do Maranhão na sexta. Ela se desincompatibiliza para tornar possível a sua candidatura à Presidência ou ao Senado. Por enquanto, fala em disputar a Presidência, mas também há sinais claros de que poderá optar pelo Senado. Tanto é que seu irmão, o deputado Sarney Filho (PFL-MA), desistiu de concorrer à Casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.