FHC parte para a ofensiva nos sete anos do Plano Real

O governo inicia hoje, em solenidade no Palácio do Planalto, uma ofensiva publicitária para mostrar os benefícios obtidos pelos brasileiros nos sete anos de vigência do Plano Real. De acordo com os números a serem apresentados, antes do plano o salário mínimo comprava 60% da cesta básica, e hoje compra 123%. O governo também insistirá que o Real retirou 10 milhões de pessoas da linha de pobreza e promoveu a redistribuição de renda.Conquista da estabilidadeO mote do discurso presidencial será a estabilidade econômica conquistada por seu governo, para que os brasileiros não se esqueçam do que ocorria no País antes do Plano Real. Com isso, pretende mostrar seu trunfo para as eleições do ano que vem, que será a bandeira do candidato da base aliada à sucessão de FHC.Dois recadosEm seu discurso, o presidente também pretende dar um recado aos mercados interno e externo, exibindo as diferenças da economia argentina com a do Brasil, cujas bases são muito mais sólidas do que a do país vizinho. E, um outro, às oposições e aos dissidentes da base aliada, especialmente do PMDB. O assessor especial da Presidência, o ex-governador fluminense e peemedebista Moreira Franco, explicou ao ?Jornal da Record?, da Rede Record, que, ao longo dos últimos anos, o seu partido apoiou todas as iniciativas do governo, na Câmara e no Senado, e agora precisa dizer em que diverge do Planalto, para não passar a impressão de mero oportunismo político.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.