FHC não defende Azeredo e diz que 'quem tem culpa, paga'

Para ex-presidente, não se pode comparar 'mensalão' mineiro com mensalão denunciado no 1.º mandato de Lula

Cida Fontes e Eugênia Lopes, do Estadão,

22 de novembro de 2007 | 16h34

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ao comentar, nesta quinta-feira, 22, a decisão do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, de denunciar 15 pessoas por envolvimento no chamado "mensalão" tucano em Minas Gerais, inclusive o senador Eduardo Azeredo (PSDB), declarou: "É preciso que se apure. Quem tiver culpa que pague". Ele não defendeu nenhum de seus correligionários. "Se houver culpa, o que vai fazer? Que assuma a responsabilidade", disse.   Veja Também:    Entenda o mensalão mineiro  Mares Guia é denunciado por mensalão mineiro Confira a íntegra da denúncia  Veja quem são os 15 denunciados pelo mensalão mineiro  Denúncia é chance para comprovar inocência, diz Azeredo  Procuradoria pede julgamento separado de sócio de Valério Cotado para vaga, Múcio torce para que Mares Guia fique Saída de Mares Guia não atrapalhará CPMF, diz Mantega   Fernando Henrique chegou durante a tarde à sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), em Brasília, para participar do 9.º Congresso Nacional do seu partido - o PSDB - e disse que o caso de Azeredo é assunto para ser discutido no encontro de sexta-feira.   Azeredo foi denunciado pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza por suposto envolvimento em esquema irregular de financiamento de sua campanha à reeleição ao governo de Minas, em 1998. A denúncia também atingiu o ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, que decidiu pedir afastamento temporário do governo para se defender.   Mares Guia, do PTB, seria apontado na denúncia como operador do esquema intermediado pela SMP&B, agência do publicitário Marcos Valério, e que teria sido a gênese do mensalão repetido posteriormente no governo federal pelo PT.   Em conversa com jornalistas, o ex-presidente fez distinção entre o "mensalão" mineiro e o mensalão denunciado e apurado durante o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva envolvendo altas autoridades do governo. "O mensalão foi criado pelo governo Lula e é quando você paga à base aliada para votar com o governo. Não tem nada a ver com o mensalão de Minas. Lá, foi financiamento de campanha."  (Com informações de Carmen Munari, da Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
FHCPSDBMensalãoMensalinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.