FHC não concorda com mudança de data para posse

O presidente Fernando Henrique Cardoso reagiu mais uma vez à proposta de mudança da data da posse do futuro presidente, de 1º para 6 de janeiro. "Congresso que mexe no mandato, mexe numa regra fundamental da democracia", disse o presidente em entrevista concedida depois de receber o título de "Doctor of Civil Law" (Doutor em Direito Civil), na Universidade de Oxford. "O Congresso Nacional tem o poder de ampliar mandato?", questionou Fernando Henrique. Para ele, a possibilidade de o presidente do Senado assumir temporariamente a presidência da República para transmitir o cargo ao presidente eleito no dia 6 de janeiro, também não seria uma boa alternativa. "A violência (à Constituição) é a mesma".O título concedido a FHC hoje pela Universidade de Oxford é oferecido apenas a chefes de Estado. Os últimos laureados foram o sul-africano Nelson Mandela e o italiano Romano Prodi. Logo depois, FHC participou de uma recepção na universidade.?Blair quer conversar com Lula?Fernando Henrique disse que recebeu nesta manhã um telefonema do primeiro-ministro inglês, Tony Blair, e que conversaram sobre o Iraque. O presidente disse que voltou a defender a ampliação do Conselho de Segurança da ONU para que as decisões de interesse do mundo sejam mais discutidas. Segundo FHC, Blair quer marcar um encontro com o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva na Inglaterra. "Eu vou conversar com Lula a respeito disso", disse o presidente. "Deste jeito não sai a Alca"O presidente Fernando Henrique Cardoso disse que a reação brasileira às barreiras para a importação de frango, pelo Canadá, será "a mais enérgica possível". Para o presidente, essas barreiras não têm cabimento, porque o Brasil cumpre todos os acordos fitossanitários. "Deste jeito não sai a Alca", ressaltou Fernando Henrique ao ser questionado se isso poderá comprometer a Área de Livre Comércio das Américas. "Não pode haver a continuidade do unilateralismo", completou.A nova barreira à compra de frango brasileiro foi imposta pelos Estados Unidos, que ameaçaram vetar o ingresso de frango canadense no mercado americano, caso o Canadá mantenha as importações do produto brasileiro. A alegação do governo norte-americano é de que a doença de "new castle" (febre que atinge as aves) ainda não foi erradicada no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.