FHC não cita Paulo Renato ao falar do Bolsa-Escola no rádio

O presidente Fernando Henrique Cardoso dedicou hoje o programa semanal de rádio ao projeto bolsa-escola, mas não citou o nome do ministro da Educação, Paulo Renato Souza, autor da idéia. Na semana passada, Fernando Henrique elogiou o ministro da Saúde, José Serra, em duas ocasiões diferentes. As duas serviram para anunciar o começo do programa bolsa-alimentação, do Ministério da Saúde.Na terça-feira, incomodado com reportagens mostrando o empenho do presidente em elogiar Serra, Paulo Renato disse que recebe mais elogios que o colega da pasta da Saúde. "Quantas vezes ele elogiou a mim? Muito mais, se contarmos quantas vezes ele falou em cadeia nacional sobre educação e me elogiou", disse o ministro da Educação.Fernando Henrique anunciou no programa de rádio que a bolsa-escola - projeto de ajuda financeira (R$ 15,00 por criança) às famílias que mantém os filhos nas escolas - começou a ser distribuída há quatro meses e atende a 2 milhões de famílias. A iniciativa pioneira deste tipo de programa foi do ex-prefeito de Campinas, no interior de São Paulo, José Roberto Magalhães Teixeira, que já morreu, mas a proposta foi celebrizada em administrações petistas, como a do ex-governador do Distrito Federal Crisóvam Buarque.Há um limite de ajuda de três crianças por família e o dinheiro é retirado em agências da Caixa Econômica Federal (CEF) ou postos credenciados.Fernando Henrique ressaltou a importância da criação do Conselho de Acompanhamento do programa, com metade dos integrantes sem qualquer vínculo com a prefeitura, para garantir a fiscalização do processo. Ele fez um apelo aos prefeitos para que cadastrem as famílias e o governo consiga "levar a bolsa-escola a mais de 10 milhões de crianças e adolescentes até o final do ano".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.