FHC inaugura projeto de irrigação no Ceará

A movimentação nos municípios de Marco, Acaraú e Bela Cruz, no Interior do Ceará, começou cedo para a recepção ao presidente Fernando Henrique Cardoso. Às 10 horas, o presidente inaugura o Projeto de Irrigação do Baixo Acaraú, que vai beneficiar diretamente os três municípios. Estudantes, professores e funcionários públicos receberam credenciais e bonés e estão sendo transportados para o local da inauguração, na Barragem Santa Rosa, em ônibus custeado pelo governo do Ceará, em caminhões e vans. Todos terão direito a lanche. A expectativa é que cerca de 5 mil pessoas estejam presentes para prestigiar o evento.O projetoO projeto de irrigação deverá, de acordo com os governos federal e estadual, criar 17 mil empregos e promover o desenvolvimento econômico da região, através da fruticultura irrigada, em um prazo médio de 10 anos. O projeto dispõe da mais moderna tecnologia de irrigação e deverá ter custo total de R$ 220 milhões. A quantia de R$ 198 milhões já foi investida na obra física, executada pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Denocs). Até o final do ano, 8,4 mil hectares deverão estar sendo ocupados no perímetro. Desse total, dois mil hectares já foram adquiridos por 50 pequenos produtores, cinco técnicos agrícolas e cinco empresários. Os pequenos produtores iniciam esta semana o plantio de 400 hectares de melão, já adquiridos pela empresa multinacional Dole. O melão será exportado para a Inglaterra. Serão 435 mil caixas de 6 quilos cada, o que representa R$ 1,5 milhão.Municípios em festaOs prefeitos dos municípios de Marco, Bela Cruz e Acaraú, no Vale do Acaraú decretaram feriado devido à visita presidencial e, desde a semana passada, divulgam o evento através de carro de som. As três prefeituras vivem, basicamente, do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), e o projeto de irrigação vem sendo encarado como a possibilidade de redenção econômica da região. O prefeito de Marco, Jorge Osterno (PSDB), acredita que o projeto poderá trazer autonomia financeira ao seu município, a médio prazo. "O desemprego é o nosso maior problema, e o projeto será fundamental para mudar esse quadro", afirmou ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.